Esperança

 

Ontem foi uma noite difícil. A nossa S está a sofrer bastante com cólicas e consequentemente eu, a mamã D também. Passei o dia todo com dores de cabeça, irritada e sinceramente com alguma pena de mim própria. Sim, acontece a todas. A maternidade leva nos ao nosso verdadeiro limite, testa nos todos os dias. Senti me melhor quando fui buscar a amiga V para irmos à reunião escolar da pré dos nossos pequenos. Deu para descomprimir um pouco ao voltar ao meu mundo normal nem que fosse durante uma horinha. Conversas, risos e coisas banais como reclamar de reuniões escolares.

Foi depois da reunião que recebi um telefonema. A minha amiga C estava à minha porta, e está a passar um mau bocado. A filha dela está doente, internada no hospital e as coisas infelizmente não estão nada bem. Ficamos a falar com ela um bocadinho aqui à porta de casa. A falar mas sem dizer muito. Porque o que se pode dizer numa situação destas a uma mãe desesperada? Só podemos realmente mostrar que estamos aqui por ela para o que der e vier, nem que seja apenas para um abraço no percurso entre o hospital e casa. Admiro a. Admiro a muito. Rezo ao universo para que a pequena M fique bem depressa e tenha algum descanso. Ela e todos que estão preocupados com ela.

A visita da minha C serviu me para muito. Embora fosse só por poucos momentos que tivemos juntas, fez me parar. Parar e pensar. Pensar ‘Há sempre alguém que está a sofrer mais que tu’.
Pensar nas cólicas da minha S e vendo que afinal isso não é nada a comparar com o que muitos papás por este mundo a fora estão a passar com os seus. Pensar que tenho de ser forte e aguentar o barco porque eu tenho sorte em ter as minhas 3 filhas em casa comigo e bem de saúde. Pensar que levamos muita coisa a peito que não deveríamos. Há muito mais por viver!

Sentada na cozinha enquanto a bimby me faz o jantarinho, olho para as minhas miudas e hoje vou mesmo tentar não me chatear com a gritaria, com constantes lutas por brinquedos, pelo não querer comer, pelo não querer ir para a cama. Hoje vou tentar estar presente e desfrutar delas.

Acabo este post com tristeza no coração pelos meus amigos e pela M.. Mas vou tentar pôr de parte essa tristeza e encher o coração de esperança, porque isso sim traz boas energias às nossas vidas. E à amiga C, digo que estamos aqui, todos nós. A NOSSA tribo. A nossa tribo a querer o bem para vocês e prontos para ajudar no que for preciso.
Por isso amigos digo, encham o coração de amor, deixem as coisas supérfluas para trás. Dêem um beijo a mais nas vossas crianças hoje pelo simples facto de estarem em casa com vocês. E por favor, mandem energia positiva ao universo para a nossa M.

C, tamos aqui.
A tua tribo.

3 thoughts on “Esperança

  1. Lindo!!! Só tu mesmo para estas palavras… É aqui que vejo de onde vêm as boas notas da nossa M na lingua portuguesa…não desprezando o papá ,claro. Tens um coração enorme…tens sempre uma palavra amiga …

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *